Descoberta guiada, em terapia cognitiva, define a forma de trabalho do terapeuta. É um método onde paciente e terapeuta formam uma dupla para, a partir do empirismo colaborativo, para chegar às crenças e sistemas de valores do paciente. 

Nos inspiramos nele para descrever o método de trabalho dos nossos grupos de aprendizagem colaborativa. Na prática, o que a gente faz é, a partir de um tema, refletir e compartilhar nossas verdades, para ressignifica-las internamente. 

O papel do coordenador e das facilitadoras é apenas de guia nessa jornada pessoal e do grupo.

"15 mulheres, algumas horas e muito assunto.Uma descoberta guiada é muito mais do que isso, é um auto conhecimento inexplicável, uma experiência única que mesmo em anos de tratamento não conseguimos absorver tanto, com tanta intensidade. Um grupo de mulheres que não se conhecem e ao mesmo tempo são tão íntimas umas das outras, um lugar onde falar de medos e monstros é libertador. As rendeiras vieram pra mudar o modo de ver como uma mulher pode cuidar da outra sem nem mesmo conhecê-la, onde o julgamento não está em questão e onde a sororidade impera" 

Antonia, arquiteta, mãe do Francisco e da Valentina

“Na descoberta guiada o grupo vai construindo o conhecimento junto com a facilitadora de uma forma informal, mas ao mesmo tempo devidamente embasada teoricamente. A conversa é dinâmica e há muita abertura para perguntas e para o compartilhamento de experiências. Adorei aprender desta forma! O grupo pequeno nos deixa à vontade, a troca de experiências e o aprendizado nos aproxima e ao final tu estás entre verdadeiras amigas ".

Elisa,  psicóloga e mãe do Lucas

“A descoberta guiada, para mim, foi algo extremamente especial e importante. Foi uma troca entre todas, mas com um ponto de apoio muito forte com a psicóloga Ângela e as facilitadoras. Foi lindo, encorajador, empoderador. Quanto mais o tempo passava, mais aberta a falar e escutar ia me sentindo e, com isso, as emoções e reflexões foram vindo e vindo. Uma experiência única, onde não tive vergonha de ser eu mesma. muito pelo contrário, fomos guiadas e “guiamos” também. Nos libertamos de nossas amarras com muito amor. #sourendeira, vem ser também”

Bárbara,  publicitária e estudante de psicologia

“Não poderia ser melhor, sem palavras.Cheguei cheia de medo, tipo borboletas no estômago. Gaslighting: um medo vivido por muitos anos desmascarado em poucos horas .15 mulheres maravilhosas, rendeiras. Agradeço a todas pela troca de experiências. Ganhei muito. Adoro vocês”. 

 

Sonja, professora, mãe do Paulo Guilherme e do Luis Henrique

  • w-facebook
(51) 99835.5698

CONECTE-SE CONOSCO:​​

    ESCREVA PARA NÓS:​

    Rua Felipe Camarão, 243

    Porto Alegre RS

    rendeirasrs@gmail.com

    FUNCIONAMENTO

    Sempre que uma mulher estiver precisando de apoio.

     

    ENDEREÇO

    TELEFONE